Publicado por: animo30 | 10 de Dezembro de 2008

FORÇA, ZÉ HENRIQUE.

zehenrique

Muitos dos amigos da ânimo conhecem este personagem ímpar da cozinha maçanica. O Restaurante Casa Velha, em Mação, significa para muitos de nós, ao fim de semana, um refrigério para o corpo… e a alma. O ambiente acolhedor do restaurante, onde sobressaem belíssimos paineis de azulejo retratando o Mação Antigo, que aos poucos vamos vendo desaparecer, é, desde logo, o melhor aconchego para um estômago procurando alento e algum ânimo.

casavelha31

E o Zé Henrique, com a sua mulher Filomena, são generosos nas doses com que nos mimoseiam a conta. Às vezes, penso que o Zé quer que o imitemos na sua avantajada figura, tamanha a generosidade, volto a referir, das  doses que nos faz descer à mesa.

Para mim, desde sempre, a imagem de marca do Zé Henrique, também conhecido carinhosamente como o … Diabo Amarelo, vejam só – acho mesmo que o verdadeiro diabo foge dali a sete pés…- é o seu galo no forno (para não falar do bacalhau à lagareiro, da sopa de pedra e, mesmo, o arroz de pato ( que, quanto a mim, só peca pelo desarranjo com que se apresenta, quer dizer, sem o chouricito, ou a fatia de bacon e a exigida fatia de laranja, encimando um arroz um tudo nada mais tostadinho, coisas que estou farto de lhe recomendar!), tudo porque o Zé, desde a primeira hora, me dizia serem os pobres galináceos oriundos das capoeiras do…seu sogro, tal a qualidade das carnes dos ditos. Para mim, à excepção do bacalhau, todas as vitualhas vêm … da capoeira ou dos campos do sogro do Zé!

Mas… o que me traz, hoje, mesmo, aqui, é que o Zé Henrique tem outro fascínio na sua vida: ele gosta de meter a colher na vida política local e pratos que não tragam o tempero adequado, cheiram-lhe a esturo e, vai daí, zurze aos quatros ventos que a comida tem que estar “ligal” como diz a Dª Ruelf da TSF! E tudi e tudi!

O Zé vai estar amanhã, quinta, pela manhã, numa outra cozinha, em nada parecida com a sua cozinha, desde logo, porque não será ele a fazer os temperos e a determinar o tempo de cozedura.

O Zé vai estar, amanhã, no Tribunal de Mação. Levado à barra do Tribunal como o único cidadão que ousou afrontar alguns destemperos do edil de Mação. Não, não é o lider da Oposição que vai estar na barra – em Mação existe uma espécie de oposição, muito mansinha, a ver no que param as modas.

Sinto um certo desconforto por isto, Zé. Tinha que to dizer. Peguei nesta sopa de letras mal amanhada, Zé, mas cheio da maior solidariedade de que sou capaz. Toma, lê, ainda está quentinha. É uma espécie de aconchego para a jornada.

Volta depressa e em paz, Zé, que estamos esfomeados.

Sim, também de Justiça. E tu, uma vez mais, a matar-nos essa fome. Faz de conta, Zé,  que hoje, eu sou o teu sogro e este é o galo que te sirvo!

Um grande abraço

antónio colaço

Anúncios

Responses

  1. Gostei muito do texto. Abriu-me o apetite. MAs falta-me o ânimo para ir a Mação.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: